Nome da mosca: Tanajura Realista GoFly;

 

Utilização: Pirapitinga

 

Materiais usados:

1- Tesoura;

2- Cola a base de Cianoacrilato;

3- Uma tira de EVA (espuma de vinil acetinado) cor marrom com 1,5mm de espessura

4- Um par de penas, podendo ser de Seadle ou Hackle;

5- Uma agulha e passador de fio;

6- Rubber Leg fino na cor marrom

7- Anzol #8, nesse caso usamos um Tiemco 5263, entretanto pode ser utilizado outro compatível, sempre observando bem gap, para que fique bem exposto proporcionando uma melhor fisgada;

8- Estilete afiado;

9- Utilizar um fio de atado fino e resistente, de preferência na cor do EVA.

 

História: Assim que iniciei no fly e fui apresentado a Pirapitinga do Sul pelo amigo Leandro Vitorino e Joaquim Luz foi realmente apaixonante, acredito que nenhuma palavra expressaria tamanha satisfação do momento, e assim é até hoje. Logo também comecei no atado tentando ser um mosqueiro mais completo, de mosca em outra ia tentando melhorar, até que um dia comecei a atar uma tanajura por ser uma entre as moscas que mais usamos para Pirapitinga, a princípio veio o desafio de criar um abdome tão pronunciado o quando da tanajura real e principalmente efetiva na sua apresentação e fisgada. Foram inúmeras tentativas até chegarmos a um resultado satisfatório, para chegar a resultado utilizei 3 técnicas principais, sendo: Black Cricket de Davie McPhail para confecção do capo do abdome, Gafanhoto GoFly do Leandro Vitorino usando a técnica do corte de fenda no EVA para encaixe do abdome superior no anzol e também a técnica da agulha também do Leandro para passar pernas, asas e antena.

 

É fato que existem atadores brasileiros de altíssimo nível com moscas de fato muito realista, entretanto aqui tentei aliar realismo a eficiência. Proporcionando belas fisgadas testemunhadas pelos amigos Leandro Vitorino, Joaquim Luz, Rogério Batista (Jamanta), Klaus,

 

O passo a passo detalhado encontra-se no livro do Leandro Vitorino “A Pesca com Mosca no Cerrado – Volume 1 . Pirapitinga - Vadeo.